Rio tem a maior baixa de ocupação de 2017; dados Fohb


O Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (Fohb) divulgou a 125ª edição do Infohb, informativo com dados e análises estatísticas sobre a hotelaria brasileira ao longo de 2017 (em comparação com 2016). Em comparação ao ano anterior, a taxa de ocupação teve um aumento geral de 1,9%, mas a diária média e o Revpar registraram quedas de -6,4% e -4,6%, respectivamente.

O relatório ainda mostra uma taxa de ocupação crescente em todas as regiões: 0,1% no Sudeste, 2,1% no Sul, 4,3% no Norte, 6,1% no Centro-Oeste e 6,2% no Nordeste. A diária média regional, por sua vez, caiu em todas as regiões, com destaque negativo para o Sudeste (-9%) e Norte (-6,5%). Por fim, o Revpar regional teve retração de 2,4% no Norte e 8,9% no Sudeste, mas cresceu 1,4% no Sul, 2,1% no Centro-Oeste e 4,1% no Nordeste.

Já ao analisar o desempenho por categoria hoteleira, o Fohb registrou crescimento na taxa de ocupação em dois segmentos, com o Midscale (+7,8%) e Upscale (+0,6%), e queda no Econômico (-2,5%). A diária média caiu nos três, com baixas de 4,5% no Econômico, 8,4% no Midscale e 7,1% no Upscale. Por fim o Revpar também mostrou queda geral: -6,9% no Econômico, -1,3% no Midscale, e -6,5% no Upscale.

PRINCIPAIS CIDADES
Dos 15 municípios analisados, só quatro apresentaram declínio na taxa de ocupação: Vitória (-3,1%), Campinas (-5,6%) e Rio de Janeiro (-12%). O destaque positivo ficou para Salvador (+15,2%), Fortaleza (+11,7%) e Brasília (+11,5%)

Na diária média, a maior parte das cidades registrou baixa, sendo em Vitória (-9,3%) e Rio de Janeiro (-30,4%) as mais acentuadas. Apenas quatro municípios tiveram aumento: Goiânia (+0,1%), Porto Alegre (+1,1%), São Paulo (+1,9%) e Recife (+2,6%).

O Revpar de São Paulo (+8,7%) e Florianópolis (+8,8%) foram os que mais cresceram entre as oito cidades que mostraram alta. Vitória (-12,1%) e Rio de Janeiro (-38,7%) demonstraram os resultados mais negativos no índice.

Fonte: PANROTAS